Desde há uma década que as crianças provenientes dos PALOP realizam transplantes hepáticos em Coimbra. O número das intervenções tem crescido de ano para ano. São mães e crianças que face a uma doença hepática grave, são encaminhadas para Portugal à procura de respostas que lhes salvem a vida. Quando o transplante ocorre, sendo que no país de origem não têm especialistas que as possam acompanhar, assinam um termo de responsabilidade que as obrigam a viver em Portugal por tempo indeterminado. Conseguem imaginar? São separadas das suas raízes, da sua família, da sua cultura sem pedirem nem ambicionarem tal desfecho.
África Minha pretende acolher estas famílias, promover o seu desenvolvimento, integrá-las na comunidade Portuguesa, proporcionar a sua integração para que se sintam úteis na comunidade, convivam com outros e trabalhem promovendo o seu sustento. Na maioria dos casos a Hepaturix ajuda no processo de integração de toda a família e não apenas da mãe e da criança, porque toda a família acaba por deixar país de origem, pois raramente é possível uma criança transplantada regressar de novo a um PALOP.
Este projeto visa também a formação de pais (voluntariado) para que possam acompanhar estas novas famílias nos seus primeiros passos em Portugal.